quarta-feira, 13 de abril de 2011

Rafael Costa e os incentivos - PIBIC Jr.

O paraense Rafael Carmo da Costa, apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa no Pará (Fapespa), por meio do Programa de Iniciação Científica Pibic Jr., representará o estado do Pará em evento internacional de ciência.

O aluno da Escola Estadual Professora Benvinda de Araújo Pontes, localizada no município de Abaetetuba, vai mudar sua rotina graças ao interesse pela pesquisa científica. Ele seguirá para Los Angeles, na Califórnia (EUA), onde participará da maior feira de ciências do planeta, a Intel Isef (International Science and Engineering Fair), que chega à 62ª edição. A participação do primeiro estudante paraense no evento internacional foi garantida com a apresentação do trabalho 'Pesquisando a Ação Larvicida do Melão de São Caetano (Mormodica charantia)', que conquistou o primeiro lugar na Feira Brasileira de Ciência e Engenharia (Febrace), na categoria de Ciências da Saúde, e o segundo lugar, na categoria Inovação.

O projeto tem orientação da professora Maria Gorete da Paz, do Clube de Ciências de Abaetetuba, um dos municípios polos do Pibic Jr. no Pará, onde atualmente há 150 bolsistas do projeto, todos alunos de escolas públicas, desenvolvendo trabalhos de iniciação científica sob orientação dos professores vinculados ao Clube de Ciências de Abaetetuba.

Fonte: Portal ORM - Leia o texto original aqui

Comentário do blogueiro:
- Alguém sabe informar quando será o próximo edital de concessão de bolsas da FAPESPA? Quiçá teremos outros casos de sucesso, outros seguirão a trilha aberta por Rafael!

Marcelo Carvalho

2 comentários:

"NaahsComArte" disse...

Gostei imensamente desta notícia! Que bom que hoje em dia , não se precisa estar mais fisicamente nos grandes centros para ter oportunidades! Parabéns garoto!!! Parabéns Abaetetuba! Continue assim, Rafael se dedicando, para o bom profissional o limite é o céu!
Abs Rozy

Marcelo Carvalho disse...

Olá Rozy,

As oportunidades de desenvolvimento foram interiorizadas, em primeiro lugar pelo acesso as informações via internet e em segundo em razão das políticas de incentivo, como as bolsas de apoio a pesquisa.

Você já é da casa, volte sempre.

Um abraço,

Marcelo Carvalho