quarta-feira, 20 de abril de 2011

Entrevista: Prof. Áureo DeFreitas, Coordenador da Orquestra de Violoncelistas da Amazônia

O blog inicia uma nova fase, agora publicaremos entrevistas, a ideia é postar uma por mês. Os temas e os entrevistados poderão ser sugeridos pelos leitores do blog.

A entrevista que inaugura a série é com o Prof. Áureo DeFreitas Coordenador da Orquestra de Violoncelistas da Amazônia.

A Orquestra de Violoncelistas da Amazônia foi criada em 1998, na Escola de Música da UFPA. É a única orquestra profissional do gênero do Brasil. Suas apresentações causam impacto no cenário artístico regional, nacional e internacional.

A plateia reage positivamente tanto pelo repertório quanto pela performance dos jovens músicos, as apresentações provocam grandes sensações, é impossível ficar parado, algo inusitado quando se pensa em violoncelos, em orquestras. O repertório da orquestra inclui músicas de bandas consagradas como Iron Maden, Led Zeppelim, Metálica, Beatles.

No história da orquestra constam apresentações na China (2010), no Teatro da Paz e em espaços não convencionais como a Câmara Municipal de Belém.

Para o coordenador, Prof. Áureo DeFrietas, ao longo dos oito anos de existência da orquestra, sua preocupação é a valorização das crianças e adolescentes, fazendo com que os integrantes sejam reconhecidos pelos melhores violoncelistas do brasil e do mundo, oportunizando carreira profissional e o mais importante qualidade de vida aos jovens músicos.

Assista o vídeo da apresentação realizada no dia 30/03/2011, a orquestra interpreta música da banda Iron Maden:

 
O entrevistado:

Áureo DeFreitas, Ph.D. em Educação Musical
- Professor Efetivo da Escola de Música da Universidade Federal do Pará – EMUFPA
- Coordenador da Divisão de Inclusão Social da EMUFPA
- Coordenador Geral da Orquestra de Violoncelistas da Amazônia / Amazon Cello Choir
- Coordenador Geral do Programa Cordas da Amazônia
- Curriculum LATTES:

Blog: Qual a origem do programa Cordas da Amazônia e da orquestra? (relato de um breve histórico).
Áureo DeFreitas: O Programa Cordas da Amazônia (PCA) foi idealizado por mim em 2006, inicialmente como um projeto, visto que tratava-se apenas do ensino do violoncelo. Em 2007, com o ingresso do ensino do violino e da viola, nos tornamos um programa. Devido o crescimento do PCA como um programa guarda - chuva, em 2008 implementamos a proposta de um projeto voltado aos transtornos do desenvolvimento e dificuldades de aprendizagem. A Orquestra de Violoncelistas da Amazônia é o produto do projeto que iniciou em 2006.
Blog: Quem apoia o programa? Governo? Empresas?
Áureo DeFreitas: Em primeiro lugar, a Escola de Música da UFPA. Em seguida, contamos com projeto aprovados via Pro-Reitoria de Extenção da UFPA (2007; 2008, 2009, 2010, 2011), PROEXT MEC (2009), MINC (2010), PIBIC (2009/2010), PAPIM (2010).
- Em se tratando de empresas privadas contamos com apoio e patrocínio : Y-YAMADA, Ná Figueredo, REICON, Sol Informática, Escola SONNORA.
- Grupo de pais e mães de alunos de violoncelo.
- Grupo de pesquisadores voluntários.
Blog: Qual o custo mensal para manter o programa e a orquestra? Ela é auto sustentável?
Áureo DeFreitas: O Programa Cordas da Amazônia é mantido via projetos, acima mencionado, que são aprovados anualmente. Não existe um valor anual exato do custo do Programa Cordas da Amazônia, visto que muitas ações são realizadas por intermédio de voluntários. Entretanto, estima-se que o PCA movimentou em 2010 o equivalente a R$260.000,00.

PROEX = 21.000,00
PIBIC = 7.200,00
PAPIM = 3.600,00
MEC =100.000,00
MINC = 92.000,00
PROPESP = 5.000,00
SHOWS, CAMISAS, DVDs, ETC... = 32.000,00
Blog: Qual o significado de ser a única orquestra profissional juvenil de violoncelistas em todo o Brasil?
Áureo DeFreitas: Significa transformar a orquestra de Violoncelistas da Amazônia em um modelo para outros professores de música, visto que, existe uma alternativa de educação musical. Estou mostrando que o modelo tradicional conservatorial deve ceder lugar ao ensino informal, em que todos tem uma oportunidade de aprender a manusear o violoncelo. Ser líder de uma orquestra/banda formada por adolescentes é algo fundamental, pois, acredito que estes adolescentes estão fazendo parte de uma desconstrução do ensino do violoncelo. Sei que estou fazendo algo radical ao oferecer uma educação musical diferenciada aos músicos da Orquestra de Violoncelistas da Amazônia, e é por isso que o profissionalismo na categoria juvenil vem se desenvolvendo em nossa orquestra.
Blog: Como é o acesso dos jovens a orquestra, existe pré-requisito?
Áureo DeFreitas: Em primeiro lugar, o interessado precisa ingressar na classe de violoncelo do PCA ou em outra instituição de música. Em segundo lugar,o aluno de violoncelo do PCA precisa ter uma técnica apurada para interpretar o repertório já estabelecido pelos músicos da orquestra. Não existe uma sequencia para preparar o aluno visando transformá-lo em um Violoncelista da Amazônia. Trata-se de um acidente de percurso em que todos tem a mesma chance de ingresso na orquestra. Todos os alunos tem o direito de ingressar no Programa Cordas da Amazônia.
Blog: Como é feito a escolha do repertório da orquestra? A opção pelo rock foi dos jovens músicos?
Áureo DeFreitas: Em se tratando de música erudita, eu escolho a sequencia de músicas que eles devem aprender. Quanto a interpretação do Rock, os músicos dão as sugestões e eu avalio a possibilidade de inclusão em nossos shows. O processo de aprendizagem é lento, pois, preciso sacrificar final de semana, feriados, ferias, e minha carga horária na UFPA para motivá-los a aprender o repertório proposto por eles mesmos. O fator político cultural influencia a escolha do repertorio. Por exemplo, a passagem de bandas celebres em nossa cidade, datas comemorativas, e eventos específicos culturais locais.
Blog: No meio musical de Belém, digo Conservatório Carlos Gomes, Escola de Música da UFPa etc. O repertório é aceito ou existe algum tipo de preconceito?
Áureo DeFreitas: Acho que o preconceito existe, visto que ainda não somos convidados para participar dos grandes eventos organizados pela Fundação Carlos Gomes. A Orquestra de Violoncelistas da Amazônia não participa do evento da FCG desde 2000. Quanto a EMUFPA, ficamos de molho no período de 2001 a 2005. Isso pode significar que houve uma rejeição, visto que este foi o período em que os violoncelistas da Amazônia mais produziram. De 2006 até os dias de hoje, houve um progresso relevante, pois, conquistamos nosso espaço dentro de nossa cidade, mas não foi por iniciativa das instituições musicais tradicionais de Belém (EMUFPA e FCG), mas sim por um sonho que idealizei e que venho implementando lentamente.
Quanto ao repertório, não existe preconceito pois acredito que nossa a música que interpretamos é muito boa, e só falta os tradicionais acreditar na possibilidade de algo diferente.
Blog: Quais as apresentações mais marcantes?
Áureo DeFreitas: Falarei somente dos Concertos/Shows de 2006 ate os dias atuais. Todos foram marcantes, pois, fazem parte do processo que colocou os violoncelistas da Amazônia na agenda cultural de Belém. Mas, quero destacar o show no Teatro da Paz em 2007 com a participação da Banda Madame Saatan, o FEST MUSIC 2010 com a participação da banda Álibi de Orfeu, e a Turnê China 2010. Jamais esquecerei esses momentos históricos.
Blog: A orquestra já ganhou algum prêmio?
Áureo DeFreitas: Acredito que todos os projetos aprovados em nome da orquestra foram premiações. Falando especificamente das premiações tradicionais, recebemos somente a Medalha Waldemar Henrique em 2011.
Blog: Além da formação musical, o Programa Cordas da Amazônia desenvolve um projeto de educação e inclusão de crianças e jovens com “Transtorno do Desenvolvimento e Dificuldades de Aprendizagem” - TDAH. Como é este trabalho e quais os resultados já alcançados?
Áureo DeFreitas: O Programa Cordas da Amazônia da Escola de Música da UFPA desenvolve quatro projeto sociais: (1) Projetos Violino e Viola em Grupo nos bairros do Benguí e Jurunas, (2) Projeto Violoncelo em Grupo no bairro da Cremação, e (3) Projeto Transtornos do Desenvolvimento e Dificuldades de Aprendizagem no bairro da Cremação. O projeto transtornos do desenvolvimento é voltado para crianças e adolescentes autistas, disléxicas e hiperativas/impulsivas.
Blog: Uma curiosidade: porque só tem uma menina na orquestra?
Áureo DeFreitas: A 1ª e 2ª geração dos Violoncelistas da Amazônia eram heterogêneas, formada por meninas e meninos. Já a 3a geração da orquestra, chegou ao ponto de ter 100% rapazes. A justificativa pode ter sido o estilo de música que adotamos. No período de 1998 a 2007, dei ênfase a música erudita. No período de 2007 a 2011 a ênfase tem sido o Rock tradicional e até mesmo o Heavy Metal. Com toda essa desconstrução do ensino do violoncelo em que incentivei os músicos a tocar em pé, gritar no palco, motivar a plateia, as meninas terminaram evadindo. Isto é apenas uma hipótese. Mesmo assim, as meninas vem tentando ingressar na orquestra, mas os produtores de nossos eventos nunca oferecem uma logística adequada para comportar uma orquestra formada por 20 integrantes.

Clic e veja outras fotos

Os músicos por eles mesmos:
Blog: Como e quando entrou na Orquestra? Teve seleção.. foi difícil?
Sou o Sandro Roberto Marcondes de Oliveira, estudo no Rêgo Barros e faço o 9º ano, tenho treze anos e entrei na orquestra em fevereiro de 2008, não passei por testes, mas tive que me esforçar muito, estudei as músicas que a orquestra tocava, até criar bolhas nos dedos, e como ainda não tinha instrumento em casa, todo tempo livre eu corria para a escola de música pegar emprestado um violoncelo, então fui chamado para uma apresentação.

Blog: O que sente ao participar deste grupo?

Sinto grande alegria, as aulas e os ensaios são muito legais, a gente conversa sobre tudo, discutimos mas sempre chegamos a um acordo sobre tudo, no grupo sinto que tenho irmãos, sabe, sou filho único, adoro tocar com os cellistas e com o professor. As vezes por causa dos shows, tem ensaio, no fim de semana ou no feriado, largo tudo, praia, vídeo game, futebol só para ensaiar.
 
Blog: O que pensa quando sobe no palco?
Ai, me pegou, dá um frio na barriga, ver um monte de gente ali parado, esperando por nós, mas depois que começo a tocar, fico bem, me esqueço de tudo e só penso na música, no som que estamos fazendo!

Blog: Você deseja seguir carreira na musica ou é um hobby?
Quero ser músico sim, e já estou estudando na EMUFPa, faço o 4º ano e em 2012 entro pro técnico, mas também penso em outras profissões, tá difícil me decidir.
Blog:  Qual a turnê que você mais gostou de participar?

Eu adorei a turnê da China, fizemos apresentações em Beijing e Tianjig, ela foi a minha primeira e já internacional, a orquestra já fez outras mas eu não era ainda do grupo.
Blog: Nessa turnê , nos conte uma curiosidade que você viu ou participou.

Nossa foi tanta coisa bonita e diferente! Começando pela viajem de avião que durou 38 horas, foi minha primeira vez voando! Passamos por três fusos horários, nem conseguia dormir de tanta novidade! Foi emocionante ver o pico congelado do Nepal, no Himalaia, conhecer um pouquinho de Doha, no Catar e de Dubai no Emirado Arábe, pisar na praça da Cidade Proibida, conhecer o templo de Confúcio, visitar uma escola de música tradicional chinesa, conhecer o enorme prédio Teatro Chines de Pequim, gravar o nome da Orquestra nos cadeados da Muralha da China, ver um urso Panda de perto, tocar no Teatro Concert Hall em Tianjin, tocar para uma platéia internacional no Complexo do Pólo Olímpico da Beijing e principalmente fazer amigos através da música.

Blog: Deixe um recado para os jovens como você.

Quando era menor, uma vez eu disse aos meus pais que queria conhecer o outro lado do mundo, eles acharam graça... e não é que sem esperar o sonho se realizou? Foi o estudo de música e o professor Aureo e meus pais que me ajudaram. Então pra mim, sonhar significa que um dia o sonho pode acontecer de verdade, por isso estude, para ajudar a realizar seu sonho.
Blog: Como e quando entrou na Orquestra? Teve seleção.. foi difícil?

Sou o Robson Francisco Silva Navegantes, estudo na Escola de Aplicação da UFPA,  curso o 1º ano do Ensino Médio, vou completar 16 anos em agosto deste ano, entrei na orquestra devido a prévia observação de meu desenvolvimento pelo prof.  Áureo, foi quando recebi o convite. Isso faz cerca de 4 anos, entrei sem teste de seleção.
 
Blog: O que pensa quando sobe no palco?
 
Sinto que uma das melhores coisas que fiz na vida foi aprender a tocar violoncelo, pois me abriu novos horizontes e outras maneiras de pensar, além do prazer imenso que sinto ao tocar o instrumento.

Blog: Você deseja seguir carreira na musica ou é um hobby?
Pretendo seguir a carreira como profissional, ter uma boa formação em música.

Blog:  Qual a turnê que você mais gostou de participar?
 
Sem dúvida a da china, conhecer outro país foi um momento único!

Blog: Nessa turnê , nos conte uma curiosidade que você viu ou participou.

Os pontos turísticos do país são maravilhosos, na conferência que participamos, o ISME 2010, prepararam para nós um roteiro muito especial e aproveitamos ao máximo a oportunidade, outro ponto muito importante foi o convívio bem mais próximo do grupo, que ajudou a nos conhecermos melhor.
 
Blog: Deixe um recado para os jovens como você.

Quem ama sofre, quem sofre sente, quem sente luta, quem luta vence. Esse é meu dilema e gostaria que todos os jovens partilhassem ele também!
 Blog: Como e quando entrou na Orquestra? Teve seleção.. foi difícil?
Sou o Lucas Borges de Oliveira, estudo na Escola de Aplicação da UFPa, curso o 1ª Ano do Ensino Médio. Tenho 15 anos. Minha seleção foi a critério do Prof. Áureo DeFreitas, acredito que tenha tido uma espécie de avaliação durante as aulas do Projeto Cordas da Amazônia
Blog: O que pensa quando sobe no palco?
Quando subo no palco sinto que não existe mais chão, me sinto nas nuvens, a melhor coisa que tem na vida de músico é subir no palco e ouvir o publico gritando, curtindo o som, etc.
Blog: Você deseja seguir carreira na musica ou é um hobby?
É um hobby mesmo, mas que talvez futuramente possa mudar
Blog:  Como você faz para conciliar a escola regular, a escola de musica, as aulas de inglês e os ensaios... ?

Eu tenho que "me virar nos 30", nos dias de segunda e quarta assim que termina as aulas na escola eu tenho um curto intervalo de tempo para voltar para casa e almoçar, tomar banho e ir para o Inglês levando meu violoncelo para que possa ir direto para o ensaio. Nas terças eu saio da escola e vou direto para a Escola de Música, almoço pelo meio do caminho e chego para assistir as aulas quase atrasado, fico por lá até  20hs. Chegando em casa praticamente só pra dormir. Nas quintas faço quase a mesma coisa só que depois das aulas de música vou para o ensaio. Então sexta é o único dia que sobra para poder colocar as matérias em dia...

Blog:  O que você pensa sobre o grupo? E sobre o prof. Áureo?
 
Eu penso que nós logo no início batalhamos muito para chegar onde estamos agora - não que não continuamos lutando, mas agora não está sendo tão difícil como antes - acredito que se continuarmos a ter o mesmo empenho que estamos tendo nesses tempos vamos chegar longe. O prof. Áureo vem mostrando garra para com o grupo, lutando incessantemente para o nosso sucesso.
Blog: Deixe um recado para os jovens como você.

Não desistam de seus sonhos jamais, eles podem se tornar realidade dependendo de seus esforços. Não perca tempo com bobagens, aproveite a vida ao máximo pois ela é curta.
 
Informações:

Departamento de Inclusão Social da EMUFPa

Contatos e doações, compra de DVD's, camisas, canetas, bolsas:

(91) 8128-8328 - Áureo DeFreitas
(91) 8402-6431 - Lana Vilhena
(91) 9141-1225 - Letícia Silva

E-mail:

aureo_freitas@yahoo.com

Na Internet:

Blog: http://amazoncello.blogspot.com
Site: http://aureo-defreitas.conexãovivo.com.br

Entrevista: Marcelo Carvalho

Colaboradores:
Lady Marcondes 
Jorge Andrade 

Fotos:
(Acervo do grupo - Victor Nicolai)

Outras postagens sobre a orquestra:

Orquestra de violoncelos da Amazônia ou encantamento

Video da Orquestra de Violoncelistas da Amazônia

19 comentários:

DESEMBUCHA: informação e cultura para tod@s disse...

Muito legal essa entrevista.
Assisti a Orquestra de Violoncelistas no Hangar, no ano passado, é de arrepiar a alma de bonito.

Profª Doralice Araújo disse...

Gostei bastante da boa notícia; compartilharei os detalhes do projeto que anima a Orquestra de Voloncelistas da Amazônia com os leitores do Na Mira do Leitor. A excelente ideia que move o projeto merece ampla divulgação, colega professor Marcelo.

Receba o meu abraço e obrigada pelo compartilhamento informativo no edublog; parabéns!

Marcelo Carvalho disse...

Oi Lúcia,

Obrigado pela visita e pelo comentário, em breve publicarei a agenda de apresentações da orquestra, vamos combinar para assistirmos juntos.

Um abraço,

Marcelo Carvalho

Marcelo Carvalho disse...

Olá profª Doralice,

Visitei seu blog, gostei muito.

Obrigado pela visita, volte sempre.

Abraços,

Marcelo Carvalho

Maria da Conceição disse...

Olá prof. Marcelo
Parabens pela iniciativa! Com certeza iras influenciar muitos professores a terema mesmma determinação do Aureo! E quem ganha tambem são os nossos alunos!
Abraços virtuais

João disse...

Valeu! essa orquestra é da hora !

"NaahsComArte" disse...

Olá Marcelo!
Estive descansando um pouco nesse feriado... me desculpe a demora em te agradecer... eu já compartilhei o link desta postagem no feceboook!
Rozy Abs

Maria Julia disse...

Amei assistir a orquestra no Fest Music, a apresnetação deles causou um reboliço na galera! Surpreendeu a todos com um rock muito bem executado! Muito bom... com certeza poste mais materias com eles , vai muito bem vindos!!!

darcifranca disse...

Excelente amigo e instrutor do midias, sou fã de carteirinha deste grupo!
Amo de paixão todo tipo de arte e criatividade, principalmente dos paraenses supertalentosos, como vc e esses grupo.
Parabéns Marcelo seu blog sempre merece nota 1000!
E parabens meninos musicos e prof. Aureo voces merecem ter esse reconhecimento do público paraense.

Ronnie CP disse...

Blz! Os cellistas tão arrasendo no ROCK! Up!

Samuel disse...

A orquestra 'e o maximo!

flordotocantins disse...

Isso mesmo, Marcelo, continue apoiando artistas talentosos de nossa cidade. E a educação vai melhorar com certeza.

millorujo disse...

Parabens cellistas! Sucesso!

millorujo disse...

Excelente postagem. Eu vi o show deles tocando Iron Maiden, ao vivo foi demais! Eles arrasam no Rock e no Classico!

Raquel disse...

Ok! vou compartilhar no meu blog também! Sucesso a todos! Não esqueça de postar a agenda de shows.oK!

"NaahsComArte" disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
"NaahsComArte" disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
"NaahsComArte" disse...

Valeu a força Marcelo!
Tem repercutido muito bem a divulgação... assim que tiver mais detalhes acertados, te enviarei novidades!
Prof. Rozy

Kleber disse...

Beleza!
Ae! Dá-lhe brothers continuem assim, vcs vão longe...