quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Dois em um


O plebiscito que propunha a reorganização territorial do estado do Pará é página virada, a vitória do “não”, encerrou a questão, certo? 

Não e não!

Como evidências existem dois fatos, aparentemente desconexos, mas que podem ser analisados em conjunto: a eleição do SINTEPP e a eleição municipal em Marabá.

A novidade da eleição do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Pará, foi a chapa 5, composta por representantes do Tapajós. Dados extras-oficiais informam que esta chapa obteve 15% dos votos, para que se tenha uma ideia da expressividade desta votação basta comparar aos votos da chapa 2 e 3, lideradas por PSTU e PC do B, respectivamente, ambas não alcançaram 10% dos votos.

Ainda segundo informações extras-oficiais a chapa tapajônica está correndo o risco de ter seus votos anulados e ficar de fora da composição da coordenação estadual do sindicato (segundo o estatuto, a eleição é proporcional e a chapa que obtém 10% de votos está habilitada a ocupar cargos na coordenação).

Os detalhes deste imbróglio são desconhecidos do público, a eleição ocorreu em junho e até hoje o resultado não foi oficializado, ninguém sabe quem venceu, qual a votação de cada chapa e o total de votantes.

Se realmente a chapa tapajônica tiver alcançado os 15% dos votos e mesmo assim ficar de fora da coordenação, será mais uma manifestação do centralismo conservador daqueles que defendem a hegemonia da capital sobre os demais municípios paraenses.

Leia o desabafo de um dos representantes da chapa tapajônica, postado no Facebook:

(...) agora o sindicato que se diz defensor da categoria usar de manobras mais sórdidas do que as praticadas pelos governos corruptos contra sua própria categoria isso é inadmissível, eu no seu lugar teria vergonha de falar de alguém que é corrupto, pois sabes muito bem que a única razão da Coordenação Estadual tentar anular os votas da Capa 5 foi medo de que a caixa preta do sindicato fosse aberta, mais isso vai acontecer de qualquer jeito não percam por esperar. 
 

O outro fato é a eleição municipal em Marabá, leia aqui, o efeito plebiscito.

Marcelo Carvalho

Um comentário:

Rose Silva disse...

Sou de Portel, coordenadora do sindicato, subsede local. Fiz parte da chapa 05, da qual seu texto trata. apesar de morar no Marajó sempre fui a favor da divisão do estado e lamento profundamente o ocorrido na nossa eleição estadual. Pois cheguei a comentar com algumas pessoas que estaria na nova coordenação estadual do SINTEPP. E so agora, nos dias que antecederam a posse da nova coordenação foi que fiquei sabendo deste detaleh: Que mesmo tendo recebido voto suficiente pra entrar na nova coordenação, ficaríamos de fora!!