sábado, 5 de março de 2011

Boto-Set Cabano ou Linux Educacional?








Escrevo este texto com objetivo de contribuir com o debate sobre sistemas operacionais para uso nas salas de informática educativa das escolas públicas. Hoje, duas opções parecem dividir opiniões de professores: o Boto-Set-Cabano, desenvolvido pela SEDUC/UFPa e o Linux Educacional, desenvolvido pelo Ministério da Educação (MEC).

Para contribuir com o debate, apresento abaixo as principais características dos dois:

O Boto é uma personalização do GNU/Linux UBUNTU destinado às Escolas da Rede Pública de Ensino do Pará, desenvolvido inicialmente a partir de uma customização do GNU/Linux KURUMIM, uma distribuição desenvolvida por Carlos Morimoto, mantenedor do Guia do Hardware. Em 2006, foi criado um convênio com o Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação da Universidade Federal do Pará (CTIC-UFPA) que desenvolveu o projeto SET (Servidor de Estações de Trabalho) e a SEDUC, proporcionando o desenvolvimento da versão em live CD (executável a partir do CD-ROM) da distribuição BotoSetLinux.
O BotoSet (união dos projetos BOTO-Seduc e SET-UFPA) surgiu da necessidade de se ter um Linux voltado para a Informática Educativa, que reunisse um conjunto de programas de livre distribuição, e que viabilizasse a realização de projetos educacionais e ações voltadas a inclusão digital e a criação de uma cultura de compartilhamento de informação e colaboração entre os sujeitos que constituem a comunidade escolar.
Seu objetivo fundamental é difundir os princípios filosóficos do movimento do software livre entre alunos, professores e a comunidade escolar e estimular a implementação de Projetos de Informática Educativa e Inclusão Digital nas Escolas.
A partir de janeiro de 2010, o BotoSetLinux recebeu uma atualização e passou para a versão CABANO (3ª geração do linux da SEDUC-Pa).
Para saber mais sobre o GNU Linux, acesse: http://br-linux.org/faq-linux/
Para saber mais sobre o Boto Set acesse: http://www.ufpa.br/set/
O Linux Educacional 4.0, do MEC, usa o ambiente gráfico KDE. Esta nova versão do Linux Educacional está baseada no Kubuntu 10.04 e traz mudanças na interface do sistema. O usuário pode testar o Linux Educacional sem precisar instalar no computador. Isto é importante, pois o novo usuário pode conhecer este Sistema Operacional sem precisar instalar em seu computador.

O Linux Educacional é uma solução de software que colabora para o atendimento dos propósitos do ProInfo de forma a favorecer ao usuário final, no que se refere ao uso e a acessibilidade, bem como ao responsável pelo laboratório, no que se refere à manutenção e atualização da solução.
O Linux Educacional tem uma identidade visual simples e atrativa, aplicativos educacionais personalizados, ferramentas de acesso e busca dos conteúdos educacionais, repositório Debian de conteúdos educacionais mantido pelo MEC e ferramentas de produtividade.
Para saber mais:

Portanto, quais as diferenças? Elas existem de fato?
São duas distribuições Linux, livres, gratuitas, desenvolvidas a partir de ações governamentais, com objetivos educativos e destinados as salas de informática de escolas públicas. Onde reside a diferença?
Pode ser sutil, mas existe uma diferença que não pode ser menosprezada. O Boto-Set-Linux, é fruto de uma ação local, é produção de ciência e tecnologia paraense, foi desenvolvida inicialmente dentro de uma escola pública, a Escola Luís Nunes Direito, localizada na Cidade Nova/ Ananindeua.
Posteriormente, o Boto foi aperfeiçoado por meio do convênio entre a SEDUC e UFPa e, para que o sistema fosse adequado às salas de informática e atendesse suas necessidades reais, foram realizadas dezenas de reuniões e apresentações do Boto tanto para os professores das salas de informática quanto para os multiplicadores dos Núcleos de Tecnologias Educacionais (NTEs).
Qual o significado de tudo isso? Produção de ciência e tecnologia por técnicos e pesquisadores paraenses!
Nenhum estado ou país será desenvolvido se não tiver domínio da produção de ciência e tecnologia, esta é uma condição sine qua non para garantir a autonomia e soberania de uma nação.
Portanto, devemos defender a continuidade do Boto-Set-Cabano, como uma ação estratégica de desenvolvimento de ciência e tecnologia aqui no Pará.

Marcelo Carvalho

7 comentários:

Blog do Roberto Martins disse...

Boa noite Marcelo,

creio que a discussão não divide professores, e sim GESTORES. É uma questão de concepção do significado de desenvolvimento e educação vi software livre pelo gestor.

Roberto Martinssater

Marcelo Carvalho disse...

Fale Roberto,

Você está correto, o debate está mais centrado na gestão, mas os professores podem e devem participar, posto que as decisões da gestão interferem no trabalho dos professores.

Marcelo Carvalho

Jorge Andrade disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jorge Andrade disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jorge Andrade disse...

Marcelo eu faço parte do uso dos dois sistemas, como multiplicador e como suporte técnico do Proinfo, concordo com o uso do Educacional devido o suporte técnico ser mais eficiente e rápido, quanto ao cabano o suporte da UFPa não funciona pois foram reportados vários bugs com relação ao uso do cabano no multiterminal onde a maioria dos kits do Proinfo são multiterminal, o cabano como softlivre nunca disponibilizou o código fonte para apropriação do seu desenvolvimento desta forma a UFPa não incentiva a produção regional do softlivre, por não disponibilizar o código fonte para estudo e modificações como ocorre com o L.E.
Pelo fato da SEDUC ter gasto um valor alto para a UFPa desenvolver o cabano enquanto tem escolas que não tem sala de informática por falta de estrutura, e outras coisas como a solução do servidor do cabano que nunca terminaram de desenvolver. Foram compradas memorias para as maquinas e nada fizeram.

Sandra de Fátima Rocha disse...

Olá Jorge,
Sinto muito pelo entendimento equivocado que você expressa a respeito do Boto Cabano, da equipe da UFPA, e de toda a situação acerca do Cabano, talvez até por desconhecimento. Não é verdade que nunca terminamos a solução. Está pronta e disponível no nosso repositório para acesso de qualquer pessoa. Resolvemos também a questão com os multiterminais. Ocorre Jorge, que desde o período antes da eleição e pós eleição, temos tentado entregar a solução à SEDUC, criar um repositório dentro da instituição, dar continuidade às formações para repassar o conhecimento aos professores e técnicos da SEDUC mas nada conseguimos. Fizemos reuniões para que houvesse o acompanhamento por parte da SEDUC para se apropriasse do conhecimento, e foi indicado o Augusto (DITEC) que acompanhou os trabalhos. Com a ajuda da coordenação do NTE à época, conseguimos fazer algumas formações, com pouca presença dos professores das salas de informática, até pelo pouco tempo para divulgar. Quanto às memórias, fazia parte de nossas obrigações a aquisição, mas não a instalação, que seria feita pela equipe da SEDUC. Fizemos a instalação no NTE Belém para viabilizar o uso da solução. Todos os bug's reportados por professores que acompanham o projeto foram solucionados.Em momento algum a UFPA, sua equipe, e eu principalmente, que tenho lutado muito para levar o projeto adiante,concordamos com desperdício de recursos públicos. Tanto que temos tentado resolver questões de ordem administrativa que envolvem o convênio junto à gestão anterior e a nova gestão da SEDUC. E independentemente de convênio celebrado ou recursos disponibilizados, estamos mantendo a solução, resolvendo as pendências e sempre à disposição da SEDUC, pois temos um compromisso que está acima de qualquer questão burocrática ou política. É o nome da UFPA, e da própria SEDUC que devem ser preservados, e o trabalho de toda uma equipe que deve ser valorizado.
Caso deseje maiores informações ou esclarecimentos entre em contato comigo (sandra@ufpa.br), pois a UFPA não se furta a disponibilizar as informações e nem de prestar o suporte para o Cabano.
Cordialmente,
Sandra Rocha
Coord.Equipe Boto Cabano/UFPA

Jorge Andrade disse...
Este comentário foi removido pelo autor.